terça-feira, 15 de março de 2011

Capítulo 18 - Proteção


Hey visitantes, desculpem a demora, mas como muitos de vocês não conseguiam aceder ao link que vos deixei para o capitulo 18, eu deixo aqui traduzido.
Mas não fui eu que traduzi, encontrei num site. Aqui

18- Proteção:



Eles apareceram um por um da floresta, seus pensamentos divertidos, não haviam reparado ainda em Bella.
Eu estava nervoso, mas nenhum deles reparou na nossa inquietação.
Alice buscou o futuro e os viu jogando conosco.
O primeiro homem diminuiu, permitindo que o outro homem ficasse na sua frente, se deixando guiar pelo homem alto, de cabelos escuros deixando bem claro quem liderava o bando. A terceira era uma mulher com um cabelo incrivelmente avermelhado.
Eles se enfileiraram antes de continuar se aproximando cuidadosamente de nós, exibindo respeito por estarmos em maior número.
Eles caminhavam feito gato, quase como se rastejassem. Usavam jeans e uma camisa de botão casual, feita de um tecido pesado e á prova de água, as roupas estavam desgastadas, e estavam descalços. Os dois homens tinham cabelos cuidados, mas o cabelo alaranjado da mulher estava cheio de folhas e sujeira da floresta.
Carlisle, Emmett e Jasper, andaram cuidadosamente em frente para encontrá-los.
Em respeito, eles se puseram numa postura mais usual, ereta.
Eles estavam curiosos sobre nós, era difícil encontrar grupos de nossa espécie, ainda mais com tantos membros.
O homem na frente tinha pele num tom de oliva por baixo da palidez, o seu cabelo era de um preto forte; com uma estatura média, músculos fortes, mas nada comparado com a força muscular de Emmett. Seus olhos e seu sorriso estavam excitados.
A mulher tinha um aspecto mais selvagem, olhos rápidos, sem descanso desviando-se do homem que estava na frente dela para o grupo que estava ao nosso redor, sua postura era felina.
O segundo homem se movia sem parar atrás dele, seus cabelos castanho claro e feições retangulares. Seus olhos e pensamentos muito vigilantes, ele era caçador. Adorava desafios.
Estava vigilante e ao mesmo tempo, queria jogar logo, mostrar sua força e estratégia para nós e para a mulher que os acompanhava. Ele queria mostrar poder, derrotando um grupo grande como o nosso.
Seus olhos estavam num tom vermelho profundo, o que me deixou mais inquieto, todos os três estavam com sede.
O homem de cabelos escuros, sorrindo, deu um passo em direção á Carlisle.
“Nós pensamos ter ouvido um jogo” - disse numa voz relaxada com um leve sotaque francês. “Eu sou Laurent, estes são Victoria e James”. Ele fez gestos para os outros ao seu lado.
“Eu sou Carlisle. Esta é minha família, Emmett e Jasper, Rosalie, Esme e Alice, Edward e Bella”. Ele nos apontou em grupos, deliberadamente não chamando a atenção para indivíduos. Senti Bella estremecer ao ouvir seu nome.
“Vocês tem espaço para mais alguns jogadores?” - Laurent perguntou num tom sociável.
Carlisle imitou o tom amigável dele. “Na verdade, nós já estávamos acabando. Mas certamente estaríamos interessados numa outra hora. Vocês pretendem ficar por muito tempo?”
“Nós estávamos indo para o Norte, na verdade, mas ficamos interessados em ver a vizinhança. Nós não encontramos companheiros há um bom tempo”.
“Não, essa região geralmente está vazia, com exceção dos visitantes inesperados, como
vocês”.
A tensa atmosfera havia lentamente se transformado numa conversa casual; Jasper estava usando seu dom peculiar para acalmar a todos e deixá-los confortáveis conosco.
O problema é que Jasper também estava inquieto, pensando no perfume de Bella, fazendo oscilar os humores ao meu redor.
Eu não conseguia relaxar, tentando ouvir o máximo de seus pensamentos.
"Filho, assim que puder, tire Bella daqui." - Carlisle me alertou em seus pensamentos.
Fiz um gesto imperceptível com a cabeça.
“Qual é extensão de área onde vocês caçam?” - Laurent perguntou casualmente.
Carlisle ignorou a intenção por trás da pergunta. “A extensão Olympica aqui, cima e abaixo da Costa, em certas ocasiões. Nós mantemos residência permanente aqui perto. Há outra residência permanente como a nossa perto de Denali”.
Laurent se virou um pouco nos calcanhares.
“Permanente? Como vocês conseguem?”. Havia uma honesta curiosidade na voz dele.
“Porque vocês não vão á nossa casa onde podemos conversas confortavelmente?” -
Carlisle convidou - “É uma história longa”.
"É sua saída Edward" - ele insistiu em seus pensamentos.
"Casa?" – os três pensaram, enquanto James e Victoria trocaram olhares surpresos com a menção da palavra, mas Laurent controlou melhor a sua expressão.
“Isso parece muito interessante, e bem vindo” - um sorriso grande na face - “Nós estivemos numa caçada em Ontário, e ainda não tivemos a oportunidade de nos limpar apropriadamente”. - moveu seus olhos apreciando a figura de Carlisle.
“Não se ofendam, mas gostaríamos se vocês refreassem as suas caças nessa área. Nós temos que nos manter fora de suspeita, vocês entendem”. - Carlisle explicou.
“É claro” - Laurent afirmou com a cabeça - “Nós certamente não vamos invadir o seu território. Nós comemos quando viemos de Seattle, mesmo” - ele sorriu.
Senti Bella estremecer.
Eu queria poupá-la disso, eu não sabia mais o que pensar. Percorrendo a mente dos três sem parar.
Eu queria pegar Bella nos braços e correr dali, era tudo muito perigoso.
 “Nós vamos te mostrar o caminho se vocês quiserem correr conosco- Emmett e Alice, vocês vão com Edward e Bella pegar o Jipe”. - Carlisle disse casualmente.
Três coisas aconteceram simultaneamente enquanto Carlisle estava falando.
O cabelo de Bella voou com a brisa, eu senti seu perfume invadir minha garganta rasgando por dentro.
James virou a cabeça na direção de Bella na mesma hora, as narinas infladas, a examinando. Senti a sede dominando seus instintos e sua mente devorar Bella ao mesmo tempo. Fiquei rígido, mostrei meus dentes, rosnando alto e em posição de defesa, vendo James rastejar mais pra perto.
 “O que é isso?”. - Laurent perguntou surpreso.
Nenhum de nós relaxou nossas posições agressivas. James se moveu levemente para o lado e eu me movi junto com ele.
James queria pular em Bella e sugar sua vida, eu não podia deixar.
A cada segundo ele bolava uma nova estratégia em sua mente.
Pular sobre ela, me empurrando para o lado, Victoria me atacaria e enquanto todos tentassem me defender, ele já teria sugado o suficiente do sangue dela. Ele não entendia porque eu a protegia.
“Sou rápido suficiente para alcançá-la antes dele...” – seus olhos inquietos nos de Bella e nos meus.
“Ela está conosco”. - a repulsa de Carlisle foi pra James.
Laurent pareceu sentir o cheiro mais lentamente, e percebendo nos encarou ainda mais surpreso.
“Vocês trouxeram um lanche?” - perguntou incrédulo, dando um passo á frente.
Rosnei ainda mais ferozmente, asperamente, meus lábios se curvando sobre meus dentes que estavam á amostra. Laurent andou pra trás de novo.
“Eu disse que ela está conosco”. - Carlisle corrigiu com uma voz dura.
“Mas ela é humana” - Laurent protestou. As palavras não eram agressivas, apenas um tanto quanto surpresas.
“Sim” - Emmett ficou muito mais visível do lado de Carlisle, seus olhos estavam em James. James lentamente abandonou sua posição, mas seus olhos não saíram de cima de Bella, as narinas ainda infladas. Continuei tenso, em alerta, protegendo Bella.
“Aparentemente temos muito a aprender uns sobre os outros”. - Laurent suavizou seu tom.
“Realmente” - a voz de Carlisle ainda estava fria.
“Mas nós gostaríamos de aceitar seu convite”, seus olhos vacilavam entre Carlisle e Bella - “E é claro que não iremos causar nenhum mal á garota humana. Não iremos invadir seu espaço, como eu disse”.
James olhou sem acreditar e agravado para Laurent e trocou outro breve olhar com Victoria, cujos olhos ainda passavam rapidamente de rosto para rosto.
James só recuava obedecendo ao olhar de Laurent, mas sua mente não parava de trabalhar.
"Porque a protegem? Eles a amam?" - ele riu em sua mente - "Ótima brincadeira de caçar, ainda mais com tantos vampiros pra defende-la" - ele estava excitado com a possibilidade.
Carlisle mediu a expressão aberta de Laurent antes de falar.
 “Nós iremos mostrar o caminho. Jasper, Rosalie, Esme?” - ele chamou. Eles se juntaram bloqueando Bella enquanto se convergiam. Alice ficou ao lado de Bella Emmett ficou atrás lentamente, seus olhos travaram quando ele passou por James.
“Vamos, Bella”. - falei com a voz baixa, sem demonstrar nenhum sentimento.
Jámes estava decidido em caçá-la e eu me sentia culpado demais. eu a coloquei em perigo, eu a protegeria a qualquer custo.
Bella continuava imóvel, agarrei seu cotovelo e a puxei levemente pra quebrar o seu transe.
Alice e Emmett estavam logo atrás de nós, escondendo Bella. Ela tropeçava ao meu lado, tensa, ainda assustada.
Eu estava impaciente, nadando na velocidade de Bella para a floresta. eu queria jogá-la em minhas costas e correr, mas isso chamaria mais a atenção de James para nós.
Laurent parecia não se importar, porém os dois planejavam entre eles a caçada.
Assim que chagamos á floresta, eu a joguei em minhas costas sem parar de andar.
Ela se agarrou com força quando comecei a correr com os outros bem atrás de mim. Ela manteve a cabeça abaixada, o coração acelerado, a respiração ofegante. Seu cheiro transbordava medo.
Eu corria furioso comigo mesmo por ter me deixado levar por esse sentimento humano, colocando Bella em perigo.
"Um egoísta! Insensato!" - pensava a cada segundo.
Alice viu em sua mente James e Victoria desviarem do caminho em que Carlisle os levava para casa e seguirem o cheiro de Bella pela floresta.
Nós chegamos no Jipe muito rápido, eu abri a porta e joguei Bella no banco de trás, já me sentando no lugar do motorista.
Estava tentando pensar, não podíamos voltar a Forks, precisávamos ir a um lugar com muito sol, nos esconder.
“Ponha o cinto nela” - ordenei á Emmett que sentou ao lado de Bella.
Alice já estava no banco de frente e eu dava ré no carro fazendo uma curva e voltando para a estrada.
Eu pensava e xingava, dirigindo muito rápido. Ao meu lado Alice buscava o futuro, a decisão, o melhor caminho.
Eu pensava Florida, ela sacudia a cabeça e os via lá. Pensava em Washington, ela não via nada. Nada estava decidido. O que eu queria era sumir com Bella.
A viagem foi sacudida e assustadora, eu vasculhava os pensamentos em todos os lugares que passávamos, se alguém estivesse por ali, eu saberia e tanto Emmett quanto Alice olhavam pra fora pela janela, pensativos.
Emmet estava como eu, preocupado com a família e com Bella, ele e Alice já estavam apegados e não se importavam com o perfume de seu sangue.
Alice se culpava sem parar por não ter previsto isso, mas justificava em sua mente que talvez, pela rapidez da decisão deles de participar do jogo, não tinha mesmo como prever. Se fosse possível, ela estaria chorando demasiadamente.
Ela só conseguia ver Bella e muito sangue, ora morta, ora transformada.
"Não tem que ser assim!" - balbuciei raivoso, muito baixo para que Bella ouvisse.
Alice fechou os olhos e tentou afastar as imagens de sua mente.
Entramos na estrada principal, indo pra o Sul, nos distanciando de Forks. Era a umica coisa que tínhamos conseguido decidir, Sul.
“Onde estamos indo?”, Bella perguntou.
Ninguém respondeu, ninguém olhou pra ela
“Droga, Edward! Pra onde você está me levando?”
“Nós temos que te levar pra longe daqui - muito longe - agora”. - respondi sem olhar pra trás, meus olhos na estrada.
“Vira! Você tem que me levar pra casa!” - ela gritou tirando o cinto.
“Emmett” - eu disse severamente.
E Emmett segurou suas mãos com força.
“Não! Edward! Não, você não pode fazer isso.”
“Eu tenho que fazer, Bella, por favor fique quieta”.
“Não fico! Você tem que me levar de volta - Charlie vai chamar o FBI! Eles vão cair em cima da sua família - Carlisle e Esme! Eles terão que fugir, que se esconder pra sempre!”
“Acalme-se, Bella” - respondi friamente - “Nós já fizemos isso antes”.
“Comigo não! Vocês não estão arruinando tudo pra mim!” - ela lutava violentamente, mas sem sucesso.
Alice falou pela primeira vez. “Edward, encoste”.
Olhei duramente pra ela, e aumentei a velocidade.
“Edward, vamos apenas conversar sobre isso”.
“Você não entende” - eu rugi me sentindo vencido, diminuindo pouco da velocidade - "Ele é um perseguidor, Alice. Um perseguidor!” - eu berrava.
Emmett enrijeceu ao lado de Bella, entendo melhor a situação. Não estávamos escondendo Bella de predadores, estávamos sendo perseguidos e James não pararia até chegar a Bella. A eternidade lhe dava tempo suficiente para bolar estratégias, esperar. Ele teria a paciência necessária.
“Encoste, Edward” - Alice falou com autoridade e eu aumentei a velocidade automaticamente - “Faça isso, Edward”.
“Me ouça, Alice. Eu vi a mente dele. Perseguir é a paixão dele, sua obsessão - e ele quer ela, Alice - ela, especificamente. Ele começa sua perseguição hoje”.
“Ele não sabe onde.."
Eu a interrompi. “Quanto tempo você acha que vai levar pra que ele sinta o cheiro dela naquela cidade? Seu plano já estava traçado antes das palavras saírem da boca de  Laurent”.
Bella ficou ofegante “Charlie! Você não pode deixá-lo lá! Você não pode deixá-lo”.
“Ela está certa.” Alice disse.
Pensei em Charlie e que o perseguidor deixaria sua marca lá. Diminui a velocidade do Jipe.
 “Vamos apenas olhar para as nossas opções por um momento”, Alice persuadiu.
Diminui de novo, subindo no acostamento da estrada, parando bruscamente.
Bella voou para frente batendo no banco e voltou, em outras circunstâncias eu acharia engraçado.
“Não temos opções” - falei arrastado.
“Eu não vou deixar Charlie” - Bella gritou.
Eu a ignorei completamente, ela não entendia o perigo que corria, sempre pensando nos outros. eu a protegeria a qualquer custo.
“Nós temos que levá-la de volta”, Emmett falou.
“Não”. - defini.
“Ele não se compara á nós, Edward. Ele não poderá tocá-la”.
“Ele vai esperar”.
Emmett sorriu. “Nós também podemos esperar”
“Você não viu- você não entende. Quando eles se compromete com uma perseguição, ele é inabalável. Nós teríamos que matá-lo”.
Emmett não ficou aborrecido pela idéia. “Isso é uma opção”.
“E a fêmea. Ela está com ele. Se isso se transformar numa luta, o líder se juntará a eles também”.
“Nós somos um número suficiente”.
“Há outra opção” - Alice disse baixinho e seus pensamentos: "Transformamos Bella agora!"
Me virei furioso pra ela, num rugido devastador. “Não - há - outra - opção!”
Emmett e Bella me encararam chocados.
Ficamos em silencio. Alice argumentando comigo em seus pensamentos.
"Edward, a transformamos e ela não correrá mais perigo, nem ela e nem sua família. O perseguidor ficará frustrado!"
"Ela nunca será como nós Alice, está não é uma opção!" - movi meus lábios muito rapidamente e o som muito baixo para que Bella não ouvisse.
"Ela ficará com você pra sempre, Edward, isso já está no futuro dela. Já está traçado a partir do momento que vocês se conheceram".
Ela argumentava e em sua mente me mostrava com Bella na campina.
"Não enquanto eu puder evitar!" - respondi tristemente, ainda muito baixo.
“Vocês querem ouvir o meu plano?” - Bella quebrou o silencio.
“Não” - rugi e Alice me encarou.
“Ouçam” - Bella implorou -“Vocês me levam de volta”.
“Não” - interrompi.
Ela me olhou e continuou. “Vocês me levam pra casa. Eu digo ao meu pai que quero voltar pra casa em Phoenix. Eu faço minhas malas. Nós esperamos até que o perseguidor esteja observando, então nós fugimos. Ele vai nos seguir e deixar Charlie em paz. Charlie não vai colocar o FBI na cola da sua família. Aí vocês podem me levar para a droga do lugar que quiserem”.
Nós a encaramos, atordoados.
Alice buscou no futuro e não viu nada de diferente na casa de Charlie, Bella saia pela porta e entrava em sua picape.
“Realmente, não é uma má idéia”. - Emmett demonstrou surpresa pela idéia de Bella.
“Pode dar certo - e nós não podemos simplesmente deixar o pai dela desprotegido. Você sabe disso”, Alice me disse.
Todos me encararam.
“É perigoso demais - eu não quero ele á menos de duzentos metros de distância dela.”
Emmett estava super confiante. “Edward, ele não vai passar por nós”.
Alice pensou por um momento. “Eu não o vejo atacando. Ele vai tentar esperar até que nós a deixemos sozinha”.
“Não vai demorar muito até que ele se dê conta de que isso não vai acontecer”.
“Eu ordeno que você me leve pra casa”. - Bella tentou parecer firme.
Pressionei meus dedos nas têmporas, fechando meus olhos.
Ela tinha um poder sobre as minhas decisões e o jeito de falar, eu tentava não ouvir a angustia na sua voz.
“Por favor” - ela me atingiu em cheio, numa voz muito baixa.
Não olhei pra cima, respondi cansado, não sabia mais como decidir.
“Você vai partir essa noite. Quer os perseguidores vejam ou não. Você diz pra Charlie que não agüenta passar mais nem um minuto em Forks. Conte qualquer história. Eu não me importo com o que ele diga pra você. Você tem quinze minutos. Você me ouviu? Quinze minutos a partir do momento que você entrar em casa”.
Liguei o motor do Jipe, viramos cantando os pneus, indo de volta pra casa.
 “Emmett?” - ela o chamou lembrando de solta-la.
 “Oh, desculpe”.
Eu estava entretido no que faríamos, Alice ao meu lado rastreando o futuro segundo após segundo.
Deveríamos chegar na casa dela, se James estivesse lá ele a seguiria e deixaria Charlie vivo, mas e se chegássemos atrasados?
Alice teve o mesmo pensamento, buscando pelo futuro de Charlie, vimos Bella saindo de casa, Charlie estava triste, mas vivo.
Após alguns minutos de silencio eu falei.
“É assim que as coisas vão acontecer. Nós vamos para a casa dela, se o perseguidor não estiver lá, eu a levo até a porta. Então ela terá quinze minutos”. - eu a olhei pelo espelho retrovisor - “Emmett, você cuida do lado de fora da casa. Alice, você fica na caminhonete. Eu ficarei lá dentro enquanto ela estiver. Depois que ela sair, vocês dois pegam o Jipe e vão dizer a Carlisle”.
“Sem essa” - Emmett interrompeu - “Eu tô com você”.
“Pense bem, Emmett. Eu não sei por quanto tempo ficarei fora”.
“Até que a gente saiba até onde isso vai, eu fico com você”.
Suspirei - “Se o perseguidor estiver lá” - continuei severamente - “ Nós dirigimos direto”.
“Nós chegaremos lá antes dele” - Alice disse confiante, me mostrando em sua mente novamente, Bella saindo e nada de diferente.
 “O que nós vamos fazer com o Jipe?” - Alice perguntou.
“Você vai dirigi-lo até em casa”. - disse duramente.
“Não, eu não vou” - ela disse calmamente.
Comecei a xingar muito baixo.
“Nós não cabemos todos na minha caminhonete” - Bella sussurrou.
Fingi não ouvir, ela estava interferindo demais. Ela não entendia que eu não poderia deixar nada de ruim acontecer, nada.
“Eu acho que vocês deviam me deixar ir sozinha” - ela falou ainda mais baixo.
Isso eu não ignorei.
“Bella, só faça o que eu digo, só dessa vez” - disse por entre os dentes trincados.
“Ouça, Charlie não é imbecil” - ela protestou - “Se você não estiver na cidade amanhã, ele vai suspeitar”.
“Isso é irrelevante. Nós iremos proteger ele, e é só isso que importa”.
“E quanto a esse perseguidor? Ele viu a forma como você agiu. Ele vai saber que você está comigo, onde quer que você esteja”.
Emmett olhou pra ela, surpreso de novo. “Edward, escute ela” - ele persuadiu - “Eu acho que ela está certa”.
“Sim, ela está”, Alice concordou.
“Eu não posso fazer isso” - minha voz saiu fria.
Eu não poderia ficar longe dela, não nesse momento, eu tinha que protege-la.
“Emmet devia ficar também” - ela continuou - “Ele definitivamente deu uma boa olhada pra Emmett”.
“O que?” - Emmett virou pra Bella.
“Você vai pegar ele mais facilmente se ficar” - Alice concordou.
“Você acha que eu devo deixar ela ir sozinha?” - encarei Alice incrédulo.
“É claro que não” - ela disse - “Eu e Jasper ficamos com ela”.
“Eu não posso fazer isso” - repeti, derrotado, mas eu entendia que Bella estava certa e Alice.
Ela tentou ser persuasiva - “Fique por uma semana.." eu a encarei irritado pelo espelho - “...Alguns dias. Deixe Charlie ver que você não me seqüestrou, então você começa a sua caçada a James. Tenha certeza de que ele está completamente fora da minha cola. Então venha me encontrar. Venha por uma rota alternativa, é claro, então Alice e Jasper poderão voltar pra casa”.
Eu estava começando a considerar a idéia, talvez desse certo.
“Te encontrar onde?”
“Em Phoenix”, é claro".
“Não. Ele vai ouvir que você foi pra lá” - disse impaciente.
“E você vai fazer parecer que é lá que eu estou, obviamente. Ele sabe que vocês estarão comigo. Ele nunca vai acreditar que vocês vão me levar pra onde dizem que estão me levando”.
“Ela é diabólica” - Emmett gargalhou.
“E se isso não funcionar?”
“Existem sete milhões de pessoas em Phoenix” - Bella informou.
“Não é tão difícil encontrar uma lista telefônica”.
“Eu não vou pra casa”.
“Oh?” - perguntei surpreso.
“Eu sou velha o suficiente pra ficar sozinha”.
“Edward, nós estaremos com ela” - Alice lembrou ela.
“O que você vai fazer em Phoenix?” - perguntei severamente.
“Ficar dentro de casa”.
“Eu gosto disso” - Emmett estava pensando em cercar James.
Já imaginando a fogueira, o desmembramento, eu fechei os olhos. - “Cala a boca, Emmett”.
“Olha, se nós tentarmos derrotá-lo enquanto ela ainda estiver aqui, existe uma chance muito maior de alguém se machucar - ela vai se machucar, ou você, tentando proteger ela. Agora, se nós pegarmos ele sozinho...”. - Ele ficou quieto com um sorrisinho no rosto, a imaginação fluindo.
Estávamos na cidade e eu diminui a velocidade do Jipe.
“Bella” - suavizei minha voz e Alice e Emmett olharam pra fora pela janela - “Se você deixar alguma coisa acontecer com você - qualquer coisa - eu vou te responsabilizar completamente. Você me entendeu?”
“Sim” - ela engoliu seco.
Me virei para Alice.
“Jasper vai conseguir lidar com isso?”
“Dê algum crédito á ele, Edward. Ele está indo muito, muito bem, levando tudo em consideração”.
“Você vai conseguir lidar com isso?”
Alice levantou os lábios numa careta horrorosa e deu um rugido gutural que fez Bella colar no banco acovardada.
Sorri pra ela - “Mas mantenha as suas opiniões pra si mesma” - murmurei.
Alice pensava novamente que a melhor saída para tudo isso e a mais rápida, era transformarmos Bella.